Recent Posts

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Em dias assim ela afasta o tempo com as mãos como quem desliza cortinas. Nesse momento encontra a ausência e ouve o baticum do peito contrariado, que faz birra.
Na bagunça da gaveta, alcança o envelope velho, rasgado nas pontas e estufado de letras. Com cuidado desdobra cada uma das cartas, sentindo, no papel, a lembrança daquelas mãos que prefere ter na pele.
As recordações giram como num toca-discos antigo, que reproduz um passado chiado, que já não corresponde ao que foi, mas à memória daquelas palavras que hoje, sorriem sépia.
Por isso, quando as frases se mostram, riscam as paredes de vermelho e enchem tudo de falta.
É uma interação no pretérito que por ser presente é imperfeito. O incompleto transborda e então, saudade...
Notícias de última hora!
Bom, então tem o Meme da Amanda...
São oito coisas pra fazer antes de morrer:
Oito (8) é um infinito () em pé...
Ultimamente tenho tido muita vontade de infinito e ficado muito à vontade com ele.
Por isso, sendo esse 8 uma outra posição que limita a minha hiperólica personalidade, com o rosto carmim, peço licença à minha querida historiadora para continuar rodeada de infinito.
Beijo.

25 comentários:

Bárbara Romanelli disse...

oi! desculpe a demora para responde-la, mas andei digamos, exilada... rsrsrs!ameeeeeiiii seus textos tb! inclusive este parece ter sido feito para mim! volte sempre que quiser, eu com ctz vou voltar! posso linkar seu blog ao meu? bjs

Maria Flor disse...

Olá,

eu só sei que adorei este cantinho... e se eu tivesse lhe visitado há uns meses atrás me identificaria completamente!



beijocas,


flor.

Glaucia disse...

Que linda a forma que você escreve! Amei!

Sabe que já vivi essa mesma cena...envelope...cortina...passado que, na lembrança, já não corresponde ao que foi...A sensação vazia é desesperadora.

Adorei esse lugar, voltarei sempre!

Beijos!

a clara menina Clara disse...

esse ficou guardado por aqui.

um beijo!

Infinito... disse...

Em pequenos pedaços de papel as letras encurtam distância e deixam no peito uma gostosa sensação de conforto...
Um cheiro, um sorriso, uma música, pequenas coisas que preenchem um coração apaixonado...
Amo você!

disse...

Nossa, mes olhos pediram lágrimas ao ler seutexto. Suas palavras são sinônimo da minha vida nesse momento.
Tento enganar o tempo, querer um alguém perto e nem pensar que essa semana virá passado.

Letícia disse...

Perfeita a sua resposta ao meme. E o passado tem sempre um tom de sépia. Engraçado isso. Mas sempre que lembro de algo, lembro em sépia.

Bjs, Lu.

Narradora disse...

Bárbara,
A casa está sempre ás ordens!
Bj

Maria Flor,
Seja bem vinda por aqui! :)
Bjs

Galucia,
Acho que todo mundo tem um envelope desses...
Seja bem vinda!
Gostei muito dos seus textos.
Bjs

Clara,
Tenho uns seus comigo também :)
Bj

Narradora disse...

Meu bem,
Adoro essas pontes de palavras que te trazem pra mim.
Beijo, um monte :D

Narradora disse...

Rê,
Correr do tempo é luta perdida né?
O jeito é um presente pleno...
Te desejo isso.
Bj

Narradora disse...

Letícia,
Engraçado mesmo, também acontece comigo, minhas lembranças são fotos antigas...rs
Bj querida.

carmim disse...

ai, saudade.



rá, sua resposta ao meme foi a melhor! :)

Gra Porto disse...

Narradora, que vc continue rodeada de infinito, e que troque sua cortina por uma persiana automatizada, ela correndo mais rápido, essa saudade vai embora mais rápido!
Bjos e uma semana iluminada!

Mary West disse...

De uma sensibilidade sem tamanho, um texto comovente em cada frase.

Camilla Tebet disse...

Quem lembra em sépia me parece antigo, sábio, cheio de imagens que constroem um presente colorido.
Mais um lindo texto.

disse...

passando pra avisar q meu link mudou,mas o blog continua o mesmo:
http://rabiscosealgunsrabiscos.blogspot.com/
bjs

Paulinha disse...

... encontrar a ausência... encher tudo de falta...
Leve e lindo.
Visitar seu blog é um afago na alma.
bjão

João Neto disse...

Peito contrariado que faz birra. Faz beicinho também e ninguém vê. Esse é o problema com o peito. São necessários olhos especiais para sentir o que ele sente.

Eduardo Trindade disse...

Quem sabe, depois da reforma ortográfica, uma metamorfose gramatical...? Um imperfeito evoluído até renascer como um inventado presente mais-que-perfeito!
Abraços, borboleta contadora de histórias!

T. Salieri disse...

Aaaa *__*

Ler vc é receber um beijo de boa noite de alguém muito querido^^

Um bjo grandee!

Marcelo disse...

Rodeada de infinito como uma ilha?
Gosto disso...
Adoro a música que toca em seu blog, sensibilidade latente aqui.

Beijos meus

Narradora disse...

Carmim,
Como andam os preprativos pra viagem?
Bjs

Gra,
Gostei dessa idéia...rs
Bjs

Miss Mary West,
obrigada

Narradora disse...

Camilla,
Gosto assistir pensamento, por isso lembro em foto ou filme e o passado me parece sépia.
Gsoto do tom..rs
Bjs

Paulinha,
Estou acompanhando a história da moça do seu blog... e curiosa pra saber o resultado.
Bjs

Narradora disse...

João,
Muito bom ver você por aqui de novo.
Bj.

Eduardo,
Gostei dessa metamorfose gramatical :)
Abraço

Narradora disse...

T. Saliere,
Gostei tanto da imagem :)
Adoro beijo de boa noite.
Bjs

Marcelo,
Ilha de infinito podia até ser continente.. :)
Bj