Recent Posts

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Possibilidades


Não se pode ter paz evitando a vida.
(Virgínia Woolf)

Enfim percebeu a vida como um emaranhado de caminhos: com rotas entrelaçadas, estradas vicinais, vias com trechos interrompidos, pistas duplas e simples.
Agora, olhando para trás consegue ver de forma clara as escolhas, as omissões, os atalhos e rodeios que compuseram seu trajeto até aqui.
E lá está ela de novo, parada diante de mais uma encruzilhada.
É ela, mas diversa... sem o cenho franzido, o maxilar tenso ou os ombros curvados, a vida já não lhe pesa.
Traz no rosto um sorriso amplo e um olhar estampado e é assim que conduzirá o seu destino de hoje em adiante, desenhando o futuro com lápis de cor e giz de cera.

Se você estiver passando por ali, talvez imagine se tratar de um caso corriqueiro de indecisão. Afinal, diriam alguns, é apenas uma mulher parada numa encruzilhada, olhando o horizonte.
Grande engano.
Ela, determinada, sabe que o tempo é por demais precioso para ser gasto com o asfalto, melhor mesmo é admirar a paisagem.

36 comentários:

Luci disse...

Sabe, narradora, ler esse texto foi como fazer uma breve leitura de mim, hoje. Sei bem o q é isso. E o que é esse olhar a paisagem. Antes, nem a percebia. Hoje a projeto, antes de quaquer escolha.

Bjo

Narradora disse...

Luci,
Importante e difícil esse exercício de manter o foco sem perder a beleza da viagem, né?
Bjs

Gracyelly disse...

Lindo texto! As indecisões de sempre...
E a ilustração me fez lembrar o cata-vento...

Narradora disse...

Gra,
Sem idecisões agora...rs
É um cata-vento mesmo.
Bjs

Ana Laura disse...

"...Melhor mesmo admirar a paisagem"

Tô nessa. Com-ple-ta-men-te, sabe?!
Sei que sim. Parece assim: Se nada mais fizer sentido, pare e admire a paisagem.

Tá bom, essa foi a minha leitura de acordo com o meu estado de espírito de hoje né!? Se não for bem isso, acho que é quase.

Vou parar, nem eu me entendo mais!


Beijos.

Narradora disse...

Nalaura,
Fica bem, Bjs.

Lígia Carvalho disse...

Me arrancou um sorriso cúmplice...

Essas imagens que vc escolhe é de uma sutileza, de um bom gosto, que sempre sinto necessidade em comenta-las.

Beijo visinha, adoro suas passagens pelo meu caminho.

Narradora disse...

Lígia,
Fico feliz, nada como um sorriso compartilhado.
Bjs

Ilaine disse...

Identifiquei-me com teu texto, Narradora. As escolhas compõem, de passo em passo, a nossa vida. Com elas definimos o caminho que haveremos de percorrer.

Lindas palavras, as suas. Elas envolvem o leitor de forma calorosa, como uma manta aveludada.

Maravilhoso vê-la lá no baú.

Abraço

Ana Cláudia Zumpano disse...

Decisões... são difíceis, e muitas vezes as tomamos sem mesmo perceber né, nem mesmo saber o quanto vamos ser felizes. Outrora erramos, mas os dias são tantos pela frente... Foco, é necessário!
E admirar a paisagem... sempre... ontem mesmo eu tava olhando a lua, ai Deus, como estava LINDA.
Bjos ;* adoro ficar aqui lendo...

Narradora disse...

Ilaine,
Gosto muito da sua casa e da sua forma de escolher as palavras, igual agora, quando falou "de passo em passo".
Adorei a idéia da manta aveludada.
Obrigada.
Bjs

Narradora disse...

Ana Cláudia,
Acho instigante e assustador não saber quais são as decisões que vão mudar a minha vida.
Tem coisa que você vê de cara a importância - se vai ou não casar, qual a profissão, o tipo de trabalho. Mas, tem umas coisas que parecem simples, mas acabam defindo todo o resto.
A lua quando se exibe é de matar né, Vinícius de Moraes, fala disso, no soneto de Orferu:
"São demais os perigos dessa vida/
Para quem tem paixão,principalmente/
Quando uma lua surge de repente/ E se deixa no céu, como esquecida"
Bjs, obrigada pela visita.

Nathália disse...

Se tem uma coisa que faço é admirar a paisagem. Rs.
Admiro tanto que às vezes até me esqueço que existe uma decisão a ser tomada.

Beijo!

Narradora disse...

Oi Nathália,
Sei bem como é isso...rs
Bjs

carmim disse...

foi muito incentivador!

=)

carmim disse...

e sim, marisa monte me mata às vezes.
linda demais.

,*

Narradora disse...

Oi Carmim,
Que bom.
Bjs

Cecília Braga disse...

As coisas atropelaram meus dias e nem tive como indicar cinco, acho que o tempo exato se foi. Desculpa. E vezenquando entro no casulo. Sei que tu entende.
'Se a via tiver alma, é a via certa'.
beijão

Narradora disse...

Cecília,
Fica tranquila. Quanto ao casulo, entendo bem.
Adorei a frase.
Bjs

Alice disse...

Narradora,

Tô em falta com vc. Mas leio seus comentários sempre e não são repetitivos. Você traz vida às coisas que crio - vc e outras pessoas mais. Enquanto não me torno Livro, sigo escrevendo por aqui. E esse seu texto me trouxe uma verdade que há muito acredito. "Apreciar a Paisagem". Difícil viver sem se importar e tomar decisões, mas o que faz a diferença mesmo é apreciar o que nos passa - de bom ou de ruim. Somos feitos disso.

Obrigada pela força e pelas leituras. E seus textos, sem exagero ou apenas por dizer, eles falam por mim. E dei de cara com a frase da Virginia... Evitar vida é morrer mesmo. Triste e sem horizonte.
Adorei.

Bjs e se cuida...

Letícia

Lígia Carvalho disse...

Hey vizinha..
Tu não tem uma ilustração de barquinho de papel??
To com um post e me falta uma imagem legal...

Grata

Bjs

Mariana disse...

As escolhas do dia-a-dia e o onus de cada uma....

será melhor mesmo admirar a paisagem?

beijos

Narradora disse...

Letícia,
Imagina, não está em falta comigo... tomara que vire livro logo.
Se cuida também.
Bjs

Vizinha,
Demorei né, desculpa.
Vi a foto, gostei.
Bjs

Marina,
Não acredito que admirar a paisagem exclua a tomada de decisões e a consequente assunção de responsabilidades.
O que acho é que a vida fica mais leve.
Bjs

Lígia Carvalho disse...

Então, eu achei uma.. mas não estou 100% satisfeita.. se vc tiver outra me menda..
ligiacz@hotmail.com

Lígia Carvalho disse...

me mAnda...
Obrigada!
Sera que não tenho nenhum vestígio de barquinho de papel? rs

Bjs

Narradora disse...

Vizinha,
Acebei de chegar da sua casa, ficou bem legal o conjunto.
Aproveitei pra deixar os créditos do ilustrador, muito bom ele.
Quanto aos vestígios, se até Aquiles tinha calcanhar, imagine nós pobres mortais...rs
bjs
PS: mas são só vestígios...

Anna K. Lacerda disse...

A Caravana da Ilusão bifurca os caminhos. Sempre uma escolha, sempre um copo meio cheio ou meio vazio. E a mulher parada a contemplar o horizonte nunca será uma mulher parada a contemplar o horizonte.

* Abraços.

Narradora disse...

Anna K.
Obrigada pela visita, seja bem vinda.
Adorei essa última frase do comentário... nunca será...
Bjs

Assim que sou disse...

E é porisso que escrevo e transformo em palavras a paisagem que olho em cada encruzilhada que enfrento.

Grande alegoria. bjss. Veronica

Narradora disse...

Verônica,
Que você continue transformando em palavras as suas paisagens.
Obrigada,
Bjs.

Camilla Tebet disse...

E o que diriam alguns suas palavras mostram que pouco importa quando a paisagem é assim, sua! E que seja asfalto, e que seja natureza, e que não seja, mas que seja sua. Em giz de cera, lápis de cor,as suas cores, sempre as suas escolhas, que sejam suas e felizes, como esse texto. Esse texto é uma blea decisão. Sorte, é o que te desejo.
Um beijo com carinho e um smile pra vc. E comentando seu comentário (merde, mesmo).
Beijos again.

Narradora disse...

Camilla,
Você tem toda razão. Nossas escolhas, nossas paisagem, é isso que de fato importa.
Sorte pra você também.
Bjs.

João Neto disse...

Valorizar o tempo que dispomos é uma das grandes equações com as quais temos que lidar nessa nossa vida moderna. E dispor de tempo para admirar a paisagem é mais do que importante, é necessário.

Germano V. Xavier disse...

Eu chamo isso de vida, Narradora!
Eu chamo de vida!

Beijos de mais...

Germano
Aparece...

Mary West disse...

Graciosidade é a palavra p/ definir seu texto. De uma pureza e clareza única, me fez sentir uma leve briza no rosto até. =*

Narradora disse...

Oi João Neto,
É verdade moço, tempo é um bem precioso.Também acho que admirar a paisagem é necessário.
Obrigada.
Bjs

Caro Germano,
Vida mesmo, amigo. Vida mesmo!
Bjs

Miss Mary West,
Fico feliz com tanta coisa boa.
Bjs