Recent Posts

segunda-feira, 7 de julho de 2008


Depois que escurecia, as pessoas que se aventuravam pelas ruelas da Idade Média normalmente faziam uso dos serviços de um codega. Era sempre um homem, cuja função consistia em guiar o seu contratante, levando-o em segurança ao seu destino. Para isso, seguia na frente de lanterna em riste, iluminando o caminho e afastando os malfeitores.

Mais seguro é verdade, mas talvez com ela não funcionasse direito. Nunca foi boa seguidora, então, bem mais difícil para o guia.
Esse negócio de soltar o corpo e se deixar levar... ela é mais âncora que pluma, mais vento que pipa.
Dançar com ela não é fácil... uma espécie de judô valsado, capoeira em minueto.

Apesar disso, regada com diária paciência, ela vai melhorando. Hoje já aceita que você faça os barcos nos quais ela sai navegando.

http://thevampiredred.deviantart.com/art/boats-will-take-me-away-46825033

20 comentários:

carmim disse...

hahahahaahaha


adorei.


acho que você não sabe, narradora, mas eu sou historiadora.


suas estórias são ótimas. aliás, você conta estórias e histórias. me fazem bem.

beijo!

Cândida disse...

um beijinho.

Gracyelly disse...

"...mais âncora que pluma, mais vento que pipa".
Acho que você entende o significado de ser Balão e Âncora né?
Bjos

Lu (- . -)... disse...

Oi Narradora...
Achei lindo o post, principalmente a imagem, de uma delicadeza incrível...
Deixar se levar por barcos deve ser uma experiência interessante, fico a imaginar o que acontecerá após cada onda...
Até mais..
Beijinho...

Fernando Rozano disse...

belo e essencial post. abraços.

Daniele V. disse...

Fabulosa forma de criação. Eu tb queria ser boa em rimas...

Mary West disse...

Ela parece ser forte, superior as simples paisagens da vida cotidiana. :)

carmim disse...

posso ter seu msn?

ah! hoje é meu aniversário!

Camilla Tebet disse...

A entrega acontece devagar. E por que teria que ser diferente? Em aulas de teatro, temos que nos jogar no colo do outro, para exercícios de confiança. Eu não consigo ainda.. mas de pouquinho em poquinho..
Quer saber? Ando cansada de ouvir que já era hora disso, já é tempo daquilo, já dava pra ter feito isso, já dava pra ter alcançado aquilo.
Cada um a seu tempo. Sem violência do relógio contando os meus minutos, que só eu sei o peso de vencê-lo sorrindo. Entregue-se aos poucos. a seu tempo tudo é mais seu.

O Profeta disse...

Escritora..és...

E este Sol impõe a claridade
Pôs no celeste a Lua a bocejar
Perdi a conta das estrelas no céu
Ergui-me em bicos para as contar


Voa comigo sobre as emoções


Mágico beijo

Narradora disse...

Que bom que gostas srta. historiadora :)
Feliz aniversário (por ontem), espero que a festa tenha sido legal.
Bjs

Cândida,
Outro bj.

Gra,
Então menina, as vezes me sinto meio assim... balão e âncora... :)
Bjs

Lu,
De uns tempos pra cá descobri que gosto de barcos. E se as ondas se renovam, devem fazer o mesmo com a gente.
Simpatizei com a foto logo de cara.
Beijo.

Fernando,
Obrigada pelas palavras e pela visita.
Gosto muito dos seus escritos.
Abraço.

Daniele,
Sabe o que eu acho?
Na maior parte das vezes uma rima boa é puro acidente. ;)
Bjs

Miss Mary West,
Nem tão forte assim...
Mas menina, parabéns pela sua publicação na revista. Fiquei feliz.
Bjs

Camilla,
Engraçada essa forma de comunicação, você não lê só o texto...
O seu último parágrafo (bem escrito como de costume) não podia ser mais verdadeiro.
Obrigada

Profeta,
Obrigada pela visita.
Lindo seu poema.
Bjs

Nathália disse...

Existem mudanças que são necessárias. Essa é uma.

:)

Bruno disse...

Desculpa fugir da essência do post, mas é que a imagem do codega me pareceu tão interessante que fiquei preso à ela. O codega me levou até o Eremita, do tarô, que me levou até Caronte, o Barqueiro e quando percebi já estava do outro lado do Estige :)

Narradora disse...

Nathália,
Então menina, algumas mudanças são indispensáveis. ;)
Bjs

Bruno,
Também me prendi ao codega, e falando em Caronte, tenho que lembrar da moeda.
Bjs

a clara menina Clara disse...

"Hoje já aceita que você faça os barcos nos quais ela sai navegando"

que lindo isso.

Narradora disse...

Obrigada
bjs ;)

Camilla Tebet disse...

A leitura vai além quando se Lê de verdade, não é? parece que pescamos um pedacinho do que o outro está vivendo. Vc faz isso muito bem quando vai aos meus textos tbém, não poderia deixar de dizer.
Quanto à frase condições de "condições de palácio tem qualquer terra larga, mas onde estará o palácio se não o fizerem ali?”. É impressionante, mas tbém não me sai da cabeça.
Salve, salve

Cecília Braga disse...

"Esse negócio de soltar o corpo e se deixar levar... ela é mais âncora que pluma, mais vento que pipa.
Dançar com ela não é fácil... uma espécie de judô valsado, capoeira em minueto".
Imagens perfeitas. Lindo que só.
beijos

Narradora disse...

Camilla,
Obrigada pelos comentários.
É incrível a frase né? Em mim foi meio que um tapa na cara, como se falasse "Ei, potencial só vale qdo utilizado". Foi bom.
Bjs

Cecília,
Obrigada, bom ver você por aqui.
Bjs

Luiz Felipe Leal disse...

voce escreve lindamente.

grandes abraços,