Recent Posts

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Faxina


Vestido xadrez de vermelho, pés descalços e olhos vendados... foi girada para um lado, depois para o outro... barulho... meio tonta e sem ver direito, se guiou por vultos e vozes... cabra cega no quintal.
Depois de crescida, algumas vezes se sentiu assim. Caminho turvo, escolhas fundadas em suposições e receios. Mas, nada como o tempo para clarear as idéias e redesenhar o horizonte.
Ela balançou a cabeça, fazendo cair esses pensamentos que estavam enrolados nos cachos dos seus cabelos. Foi à cozinha, pegou uma caneca de café - quente, forte e puro. Ligou o computador para responder o e-mail:

"Muitas vezes me peguei pensando em como a gente encontra as pessoas. São tantas as coisas que têm que se encaixar antes mesmo do primeiro 'oi'. Você já imaginou se tivesse chegado um pouco depois ou saído um pouco antes? (aplicação da teoria do caos aos relacionamentos interpessoais - um bom título para uma tese. Com o subtítulo apropriado, teríamos um livro de auto ajuda com maquiagem científica...risos).
Sua tolerância com os meus desacertos, serenou o tumulto da minha cabeça e me ajudou a aquietar o coração. Então eu concordo com você, desencontros podem ser encontros em potencial - talvez em novo formato ou noutro ritmo, mas nem por isso menores em importância.
Quanto ao CD, eu só reparei depois que você falou, alguns trabalhos anteriores da Adriana Calcanhoto tiveram mesmo o mar como tema. Antes de ir, vou deixar uma das músicas que eu disse que gostei.
Guardo você comigo,
Beijo."

Ilustração: Claudia Degliuomini

21 comentários:

Mariana disse...

Obrigada pelo comentário e pelos votos de sorte!!

venho te ler sempre que possivel...
e escreverei sempre que possivel..

beijos!

Ilaine disse...

Enquanto te escrevo, ouço Adriana... Muito bom.

"Ela balançou a cabeça, fazendo cair esses pensamentos que estavam enrolados nos cachos dos seus cabelos..."

Lindo, como sempre. Essencialmente poético.

Bom vir aqui.
Bom te ver no baú.

bj

Narradora disse...

Mariana,
Venha mesmo, não fiquei muito sumida.
Bjs.

Ilaine,
Obrigada, é sempre muito bom estar por lá também.
Bjs

Nathália disse...

Esse foi o texto que mais gostei até agora. Foi de uma leveza absurdamente envolvente. Deus do céu. Rs.
Amo Adriana.

Beijo!

Alice disse...

Amiga,

Esse texto tem dono, né? Já posso até ver. Fui longe. Já pensei nesses encontros também. A vida só vale se for dessa forma.

"...desencontros podem ser encontros em potencial..."

(Narradora)

Adoro seus textos... for real. :)

Narradora disse...

Nathália,
Mudou de foto quase não te conheci...rs
bjs.


Letícia,
Também adoro os seus, aquele último ficou muito legal (falar da morte com leveza não é fácil).
Obrigada pela visita, sabe que é sempre bem vinda.
Bjs.

carmim disse...

ai, meu coração.

Gracyelly disse...

Que lindo!! Tô encantada!!
E vc gostou do projeto do abajur? Então, pena q não deu certo, mas acho q vem dai minha paixão pela iluminação, rs.
Vc viu q tb tá linkada?

Narradora disse...

Carmim,
Ai o meu também...rs
Gosto de Marisa Monte também.
Bjs

Gra,
Gostei bastante. Vi sim e fiquei me achando...rs
Obrigada.
Bjs.

disse...

bonito o texto.
a Teoria do Caos me faz pensar bastante em Deus. É interessante.
Boa a música.

=)

Lígia Carvalho disse...

Eu adoro seus textos, suas ilustrações, mas confesso, esse foi o que mais me identifiquei.. perfeito, sutil...

Um grande beijo...

Narradora disse...

Rê,
Verdade né, como pequenas coisas podem ser determinantes... tipo o bater de asas da borboleta. Também me faz pensar em Deus.
Bjs.

Lígia,
Me apaixonei pelas ilustrações, é incrível como tem gente competente e talentosa.
Que bom que gostou do texto.
Bjs.

Mary West disse...

OI? Foi de tocar a alma com uma pena de caneta. Belissimo! :)

Narradora disse...

Miss West,
Obrigada.
Concordo com vc quanto ao último post... equilíbrio é melhor que queda de braço.
Bjs.

Marcelo Martins disse...

"Mas, nada como o tempo para clarear as idéias e redesenhar o horizonte."
Com essa frase você definiu a minha teoria de vida,rs.
O tempo...Senhor da razão.

Lindo e hérmetico seu texto, mocinha.
Muito bom.

Beijinhos.

Luci disse...

Lindo isso!

Narradora disse...

Oi Marcelo,
Verdade moço, nada como o tempo.
Bjs

Luci,
Obrigada.
Bjs.

Camilla Tebet disse...

Encontros e desencontros hã? bom lembrar deles como talvez a mesma coisa. Tudo ao mesmo tempo ou em tempo diferente, mas tudo como tem que ser.
Obrigado pela lambrança.
Beijos e o texto é lindo. Sorte do seu amigo.

Narradora disse...

Oi Camilla,
Obrigada.
Bjs

Lu (- . -)... disse...

Olá Narradora...
" Há uma hora dessas por onde estará seu pensamento..." rss...

Narradora disse...

Oi Lu (-,-)...
Não exatamente em Londres, mas com vento nos cabelos...
Bjs