Recent Posts

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Afeto, união e interseção


O grupo animado que podia ser visto numa mesa afastada, no bistrô do centro da cidade, era formado por sete mulheres. Numa espécie de desvio na rotina, tinham aberto espaço entre os seus compromissos, pois queriam estar juntas.
Refletiam realidades e escolhas distintas. Variavam em idade e forma de pensar.
A de olhos profundos, via na simplicidade das coisas quotidianas a beleza presente em Rubem Braga e Quintana; outra, confiável e prestativa, precisava de evidências e gostava de lidar com certezas manifestas, era pragmática e chorava com filmes antigos; a mãe de primeira viagem, trazia à mão o celular e só enxergava fraldas e mamadeiras, mas reluzia de felicidade; a que era avó, ainda com as olheiras do doutorado, mostrava satisfeita a aliança de noivado e o retrato do sorridente estrangeiro; uma outra, vinha com o bronzeado que tinha conseguido no campeonato de natação que os filhos participaram e ganharam, como ela não cansava de dizer, falava ainda da fotografia de Sebastião Salgado e de que como ficava intrigada e encantada com os escritos de Clarice; uma delas se recuperava de uma separação, mas a dor já não nublava o seu sorriso; a de cabelos curtos, expansiva e amorosa, ouvia com atenção e sorria com freqüência, como fazem as pessoas que estão em paz.
Falavam de sapatos e bolsas, as cores e tendências da nova estação; dos amores, passados e presentes, seus defeitos e qualidades, suas ausências e as perdas; do início da campanha presidencial, com a saída das primeiras pesquisas e os possíveis candidatos; das mais novas dietas e da eterna segunda-feira; de trabalho e desejos.
Tomavam vinho e sorriam felizes. Mulheres diferentes, unidas pelo afeto.


Ilustração de Luciana Feito, "Pajaritos".

26 comentários:

Ana Laura disse...

Ô minha querida, como são doces e agradáveis os seus comentários. Ainda mais doces são seus textos que me encantam a cada dia mais. Essa sutil forma descritiva que você usa, torna seus textos de caráter único e tão peculiar...

Poste mais, fico ansiosa.


P.S.: Eu simplesmente AMEI aquele fragmento de Clarice que você me mandou, sobretudo a última frase.

Obrigada, um beijo!

Marcelo Martins disse...

Um belo retrato da amizade entre essas sete mulheres.
Cada uma do seu jeito, com suas histórias, erros, acertos, felicidades, tristezas e sonhos.
E, como você bem diz, unidas pelo afeto.
Admiro muito quando a amizade chega à esse nível de cumplicidade e confiança.

Quanto aos seus conselhos, vou comprar a meia vermelha então, ok? rs

Beijinhos, fofa. =)

Narradora disse...

Oi Nalaura,
O tempo tem fugido de mim nesses dias, não tenho conseguido escrever como eu gostaria.
Fico feliz que tenha gostado do trecho da Clarice, é um dos meus prediletos (de Perto do coração selvagem).
Tem uma entrevista dela, acho que de 1977, você certamente já viu, acho engraçado quando perguntam se ela é hermética, e ela responde que não, pq ela se entende bem...rs
Obrigada por ter vindo por aqui.
Bjs.

Oi Marcelo,
Também me encanta a amizade, é pra mim essencial. E acredito que ela nasce assim, a despeito das diferenças.
Quanto ao fetiço, usa as meias que você vai ver o resultado (ah, não vale vermelho discreto).
Bjs.

Assim que sou disse...

Entrei no teu blog porque li os seus comentários no blog do Marcelo ( Amenidades). E foi uma surpresa muito boa ter podido ler o post de hoje. Tenho algumas amigas tão afetuosamente próximas quanto distantes nas escolhas de vida. E a sintonia é, não raras vezes, absolutamente harmônica e identificável, como se conjugássemos verbos diferentes em tempos e modos iguais. Vida...só isso.
Prazer te ler. Voltarei a visitar-te.

bjs. Veronica

carmim disse...

ai, que texto lindo! simples e cotidiano.

o john frusciante é o guitarrista do red hot. tem a carreira solo paralela à banda. ele é mto bom.


beijo!

Anônimo disse...

Lendo, imediatamente me vem a imagem do momento mágico que junto com 3 amigas vivi. Uma viagem única, de conhecimentos individuais e sentimentos mútuos. Muito carinhos, cuidados, confissões, descobertas, acertos, questionamentos, compras, deslumbramentos e muito mais....
Adorei, dá uma passadinha no nosso blog... www.umolhardesencanado.com.br
bjs Karla

Mary West disse...

Que lindo! Q sexy and the city seu texto, pena q naum tenho um grupo assim, no máximo duas amigas tão proximas. ;)

Narradora disse...

Verônica,
Será sempre bem vinda.
Obrigada por ter aparecido.

Oi Karla,
É muito bom quando há essa cumplicidade né?
Bjs.
Obrigada pela visita.

Miss Mary West,
Relamente, agora q vc falou, meio sex and the city.
Não acho que o número importe, o que vale é o afeto mesmo.
Bjs

Narradora disse...

Então Carmim, vi umas coisas dele
no youtube.
Obrigada.
Bjs

Milton disse...

hum .. que bom que gostou das dicas ^^
tem novis la ..
voltá:?

Luci disse...

Narradora, mulher, que lindo isso! Eu fiquei tão emocionada, pois esse encontro realmente tá cheio de afeto, é fácil sentir... Além do que me vi por aí. Adoro esses encontros saudáveis, felizes e cheios de amor com as amigas. É sempre uma troca, um afago.

Ai ai, adorei! Quero mais, viu?
Bjo,
Luci:)))

Narradora disse...

Volto.
:)

Narradora disse...

Oi Luci,
Programinha bem bom esse... compartilhar momentos com os amigos e amigas.
Sempre aquece o coração.
Bjs.

a clara menina Clara disse...

afinidade é uma coisa fantástica. me encanta.

beijo!

Ilaine disse...

Oi!

Muito bonito o texto, Narradora. Fiquei imaginando todas as mulheres e em como é incrível a vida, as diferentes idades - todas com sua beleza peculiar. Pensei também na amizade e no quanto podemos aprender uma com a outra.Tua escrita reflete muita sensibilidade. Adorei.

Foi bom te ver "lá em casa"!

bj

Narradora disse...

Oi meninas,
A mim também me encanta a amizade.
obrigada pela visita Clara e Ilaine.
Bjs

Ana Laura disse...

Sim, já assisti, e assisto toda vez que me dá saudades dela!
Eu adoro essa parte e também depois como ela se justifica: "suponho que me entender não seja questão de inteligência, mas sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca ou não toca."

Clarice é tudooooo!!

Eu demoro sempre lembrar que você deixa recadinhos para os seus leitores aqui. rs

Ah, e obrigada pelo comentário de hoje!

Outros.

Nathália disse...

Eu fico sem palavras diante da sensibilidade das suas palavras.
Você leva o texto tão suavemente... É encantador.

Beijo!

Narradora disse...

Oi Nalaura,
É menina eu acabo respondendo os comentários aqui..rs
Bjs.

Nathália,
Obrigada.
Bjs.

Mariana disse...

Tem um presentinho pra ti no meu blog... vai la!

http://temferias.blogspot.com/2008/04/eu-apenas-queria-que-voc-soubesse.html

Germano V. Xavier disse...

Minha querida, a amizade ainda é o laço que une os corações mais diversos...

Acredito e sempre acreditarei na força de um amor-amigo...

Estou sempre por aqui...

Abraços carinhosos...

Germano
Aparece...

Mariana disse...

Que bom que gostou! fico feliz!!!

Agora indique tb!! beijos

disse...

nada como um encontro com as amigas. me deixa sempre mais leve.

=)

Narradora disse...

Verdade Rê, nada como um encontro desses.
Bjs.

Alice disse...

Adoro tudo por aqui - suas idéias são perfeitas. Já falei isso? Falo de novo então. E esse texto tem todo mundo. Toda mulher, toda existência. Graças a Deus, somos todas e todos comuns.

Adorei...

"e sorria com freqüência, como fazem as pessoas que estão em paz."

(Narradora)

Você deve ser assim. :)

Bjs...

Letícia

Narradora disse...

Oi Letícia,
Sempre bom vc por aqui.As vezes ele (o sorriso) foge, mas não tarda muito em voltar.
Obrigada pelas palavras.
Bjs.