Recent Posts

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Canto nenhum no mundo parecia tão dela quanto aquele...
Piegas? Talvez.
Clichê? Certamente.
Mas ela não precisava de uma felicidade inédita e cheia de estilo, envolvida numa complexa construção lingüística, de salto alto e vestido longo.
Não. Era uma mulher normal, vivendo uma alegriavestidodechitaepésdescalços. Toda ela, lugar-comum.
Tinha um amor e naquela hora estava nos seus braços.


E ela falava sobre o clima e lugares, músicas e pessoas, o último filme que viu e suas milhares de teorias sobre tudo.
Com a mão esquecida no seu peito, acompanhava o subir e descer da respiração tranquila e as vibrações das risadas limpas.
Enquanto isso sentia os cabelos afagados com o cuidado de quem cata estrelas.
Naquele momento, canto nenhum do mundo parecia tão dela quanto aquele...




17 comentários:

Gracyelly disse...

Muito bom estar apaixonada!!
Consequência de um encontro onde duas ruas se cruzam?
Bjos de boa semana L.!

Narradora disse...

Gra,
Viva as esquinas...rs
Bjs e obrigada.

João Neto disse...

"Mas ela não precisava de uma felicidade inédita e cheia de estilo" (Narradora).

Simplicidade. E parece que as melhores coisas da vida são realmente de graça. Uma mulher de sorte que sabe que tem sorte. Gostei do uso da palavra "canto". Deu-me a impressão de que há dois sentidos possíveis. Canto, usado como lugar, recanto. Canto, usado como cantar, celebrar. Não importa o uso que estava na sua cabeça, escritora, importa que a mensagem é clara: Amar e ser amada é bom, o resto é conversa.

Bjo.

Salve Jorge disse...

É que é do canto
Quando acha seu canto
Causar encanto
Daí fica tanto
Quanto pode
A vontade ele acode
Cobre como um manto
Ampara o pranto
E pronto...

Letícia disse...

Pensei em mim. É o que fazemos quando lemos algo. Pelo menos, eu sou assim. E gosto do piegas e do clichê - como o C. F também gostava. E felicidade inédita é a de escrever sempre outro texto.

Bjs, Luciana.

Agora vou ficar em dia com as leituras.

Germano Xavier disse...

É quando o encontro acontece.
O encontro pleno.
Homem e natureza.
Duas naturalidades.
Ou não.
O caos necessário.

Um carinho, Luciana.
Continuemos...

Camilla Tebet disse...

"Com a mão esquecida no seu peito, acompanhava o subir e descer da respiração tranquila e as vibrações das risadas limpas."
Luciana

Que sensação boa isso me despertou. Escreveu simples, assim como se faz quando se causa boas sensações.

Marília Silveira disse...

olha aí... a felicidade não está em grandes conquistas, mas no entre, no viver simplesmente. No clichê e no piegas.

sigo gostando cada vez mais do que leio por aqui.

um abraço!

Quase Trinta disse...

delicioso seu texto, e a música que acompanha o texto torna tudo mais encantador.
Agradável supresa eencontro aqui.

Narradora disse...

João,
Os cantos foram nos dois sentidos... :)
Tão bom quando a gente pega o momento na mão e olha pra ele bastante...rs
Bjs

Salve Jorge,
Comentário lindo e pronto...rs
Bjs

Letícia,
Sempre bom ter você por aqui. Também penso em mim qdo leio e tenho lido muito os seus textos.
Bjs

Caro Germano,
Calmo e caótico, e depois tudo de novo...rs
Natural e completo.
Bjs

Camilla,
Gosto do simples. Preciso dele pra frear o meu pensamento que sempre vem em casacata...rs
Bjs

Marília,
Sabe o que eu tenho reparado? ver e se deixar tocar pelas pequenas coisas, isso sim é grande conquista.
Bjs

Quase trinta,
Seja bem vinda!
Bjs

a clara menina Clara disse...

felicidade, sabe?

Luiz Felipe Leal disse...

belo canto,
vc sabe como tecer a beleza de uma simplicidade.

grande abraço.

Nathália disse...

Você falou de 'piegas', 'clichê', 'lugar-comum'... Sabe, são em textos como o este que dá pra perceber que muitas vezes, essas coisas tão 'comuns' fazem um bem indescritível.

Me senti tão bem ao terminar de ler seu texto.

Beijo!

Paulo Fernando disse...

Por trás de um bom fim sempre tem um belo início (ou vice e versa). Simples e original. Gostei bastante.

Bjos, minha querida!

Gracyelly disse...

Uai, não vai atualizar não? Tô precisando ler seus textos! kkkkk
....São leves, fazem bem pro coração, pra alma! Gde bjo!
Só pq tá apaixonada não precisa esquecer os seus leitores, principalmente os reclamões, kkkk....tô brincando boba, ame mesmo, ame muito!!!!!

Mary West disse...

Ain nem tou. Ou tou? Acho que tou me controlando na verdade. :D

Narradora disse...

Clara,
Aham, sei sim...:)

Abraço Luiz.

Nathália,
Acho tão bom quanto o simples é suficiente. ;)
Bjs

Paulo,
Seja bem vindo e obrigada.
Bjs

Gra,
Pronto menina, voltei...rs
Tá tudo meio corrido por aqui, por isso a demora, afinal, apaixonada sim, esquecida dos amigos não!kkkk
Beijo querida.:D

Miss Mary West,
De volta a ativa...rs
Bjs