Recent Posts

sábado, 20 de dezembro de 2008

Não é um bicho matutino, quem dirá madrugador. Acordar cedinho sempre bota seu relógio interno de ponta cabeça. Aí ela fica assim, um pouco (mais) atrapalhada, como quando tem feriado no meio da semana e ela insiste em achar que o dia seguinte é segunda-feira.

Mas naquela manhã levantou cedo por vontade e saiu para dar uma volta pelo bairro.
Caminhava devagar, vendo coisas a granel, como na música de Luiz Gonzaga. Algumas construções recém iniciadas, pequenas reformas já no final, mudança nas cores das fachadas e, aos poucos, o que era conhecido ia se transformando.
O mesmo acontecia com ela, ainda que por fora, se mantivesse plácido espelho d'água; por dentro, corredeiras de nunca e sempre, teimavam em buscar sentido morro acima.

Ela apressou o passo e um vento mais atrevido brincou com a saia do seu vestido. Um sorriso aberto, feito sol que inaugura verão, estampou-lhe o rosto.
Era tempo de mudança, logo uma nova estação chegaria, daqui um pouco era outro ano. Como ela não tinha certeza se o vento era de feição - como os marinheiros chamam aquele que favorece o caminho escolhido - decidiu baixar as velas e pegar os remos, afinal, depois de muito tempo ela sabia bem onde queria chegar.



Ilustração: http://frecklefaced29.deviantart.com/art/Silent-Girl-18951127

13 comentários:

Letícia disse...

E esse texto é sobre poesia que vive, Luciana. Leio assim. Como marinheiros que voltam pra casa, seu texto me deu essa impressão.

Belo texto. Bom de ler.

Beijos.

Mary West disse...

Senti uma brisa aki tb. ;)

Narradora disse...

Letícia,
Bom ter você por aqui.
Bjs

Miss Mary West,
Que bom!
Ah e viva a rabanada...rs
Bjs

Luiz Felipe Leal disse...

nossos remos hão de se encontrar.
obrigado pelos abraços de sempre.

não gosto de ficar sem eles.


até,
abraço forte.

Narradora disse...

Luiz,
Andei meio apertada de tempo, mas agora estou de férias... ufa...rs
Gostei muito do seu último texto.
Outro abraço.

Nathália disse...

Essas suas brisas... Rsrs
Com ou sem vento de feição, nada melhor do que seguir seu próprio caminho.

Beijo!

Narradora disse...

Nathália,
Verdade...rsrs
Bjs

.B.Daccache! disse...

Adoro textos descritivos, apesar de achar que você tem muitos mais mistérios a se escrever do que realmente coloca! Muito bom!

Germano Xavier disse...

O melhor de tudo é que ela sabia que o mais valioso de tudo era seguir caminhando seu caminho, e nunca parar. Talvez porque a vida fosse isso, um eterno caminhar.

Um carinho, Luciana.
Feliz 2009.

Continuemos...

disse...

Hj eu poderia jurar q era segunda! Me atrapalhei tb.
Tomara q o vento sopre ao seu favor

Adorei a música do blog ;*

Gracyelly disse...

Luciana, que todos os ventos do seu 2009 sejam de feição!!
Gde bjo pra vc!!

Cecília Braga disse...

Tão bom ter tempo pra sentar e ler-te, de-va-gar. Como deve ser.
Dias de luz e paz pra tu.
beijo na alma!

Narradora disse...

.B Dacacche!
Obrigada pelas palavras e bem vindo!
Abraço

Caro Germano,
Talvez tenha razão.
Feliz ano novo pra você também.
Bj

Rê,
Que sopre a nosso favor, feliz 2009!
Bjs

Gra,
Pra nós um ano cheio de ventos de feição!
Um beijo querida.

Cecília,
Bom ver você por aqui.
Feliz ano novo :)
Bjs