Recent Posts

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Possibilidades


Não se pode ter paz evitando a vida.
(Virgínia Woolf)

Enfim percebeu a vida como um emaranhado de caminhos: com rotas entrelaçadas, estradas vicinais, vias com trechos interrompidos, pistas duplas e simples.
Agora, olhando para trás consegue ver de forma clara as escolhas, as omissões, os atalhos e rodeios que compuseram seu trajeto até aqui.
E lá está ela de novo, parada diante de mais uma encruzilhada.
É ela, mas diversa... sem o cenho franzido, o maxilar tenso ou os ombros curvados, a vida já não lhe pesa.
Traz no rosto um sorriso amplo e um olhar estampado e é assim que conduzirá o seu destino de hoje em adiante, desenhando o futuro com lápis de cor e giz de cera.

Se você estiver passando por ali, talvez imagine se tratar de um caso corriqueiro de indecisão. Afinal, diriam alguns, é apenas uma mulher parada numa encruzilhada, olhando o horizonte.
Grande engano.
Ela, determinada, sabe que o tempo é por demais precioso para ser gasto com o asfalto, melhor mesmo é admirar a paisagem.

36 comentários:

Luciana Cecchini disse...

Sabe, narradora, ler esse texto foi como fazer uma breve leitura de mim, hoje. Sei bem o q é isso. E o que é esse olhar a paisagem. Antes, nem a percebia. Hoje a projeto, antes de quaquer escolha.

Bjo

Narradora disse...

Luci,
Importante e difícil esse exercício de manter o foco sem perder a beleza da viagem, né?
Bjs

Unknown disse...

Lindo texto! As indecisões de sempre...
E a ilustração me fez lembrar o cata-vento...

Narradora disse...

Gra,
Sem idecisões agora...rs
É um cata-vento mesmo.
Bjs

Ana Laura disse...

"...Melhor mesmo admirar a paisagem"

Tô nessa. Com-ple-ta-men-te, sabe?!
Sei que sim. Parece assim: Se nada mais fizer sentido, pare e admire a paisagem.

Tá bom, essa foi a minha leitura de acordo com o meu estado de espírito de hoje né!? Se não for bem isso, acho que é quase.

Vou parar, nem eu me entendo mais!


Beijos.

Narradora disse...

Nalaura,
Fica bem, Bjs.

Lígia disse...

Me arrancou um sorriso cúmplice...

Essas imagens que vc escolhe é de uma sutileza, de um bom gosto, que sempre sinto necessidade em comenta-las.

Beijo visinha, adoro suas passagens pelo meu caminho.

Narradora disse...

Lígia,
Fico feliz, nada como um sorriso compartilhado.
Bjs

Ilaine disse...

Identifiquei-me com teu texto, Narradora. As escolhas compõem, de passo em passo, a nossa vida. Com elas definimos o caminho que haveremos de percorrer.

Lindas palavras, as suas. Elas envolvem o leitor de forma calorosa, como uma manta aveludada.

Maravilhoso vê-la lá no baú.

Abraço

Ana Cláudia Zumpano disse...

Decisões... são difíceis, e muitas vezes as tomamos sem mesmo perceber né, nem mesmo saber o quanto vamos ser felizes. Outrora erramos, mas os dias são tantos pela frente... Foco, é necessário!
E admirar a paisagem... sempre... ontem mesmo eu tava olhando a lua, ai Deus, como estava LINDA.
Bjos ;* adoro ficar aqui lendo...

Narradora disse...

Ilaine,
Gosto muito da sua casa e da sua forma de escolher as palavras, igual agora, quando falou "de passo em passo".
Adorei a idéia da manta aveludada.
Obrigada.
Bjs

Narradora disse...

Ana Cláudia,
Acho instigante e assustador não saber quais são as decisões que vão mudar a minha vida.
Tem coisa que você vê de cara a importância - se vai ou não casar, qual a profissão, o tipo de trabalho. Mas, tem umas coisas que parecem simples, mas acabam defindo todo o resto.
A lua quando se exibe é de matar né, Vinícius de Moraes, fala disso, no soneto de Orferu:
"São demais os perigos dessa vida/
Para quem tem paixão,principalmente/
Quando uma lua surge de repente/ E se deixa no céu, como esquecida"
Bjs, obrigada pela visita.

Nathália E. disse...

Se tem uma coisa que faço é admirar a paisagem. Rs.
Admiro tanto que às vezes até me esqueço que existe uma decisão a ser tomada.

Beijo!

Narradora disse...

Oi Nathália,
Sei bem como é isso...rs
Bjs

carmim disse...

foi muito incentivador!

=)

carmim disse...

e sim, marisa monte me mata às vezes.
linda demais.

,*

Narradora disse...

Oi Carmim,
Que bom.
Bjs

Cecília Braga disse...

As coisas atropelaram meus dias e nem tive como indicar cinco, acho que o tempo exato se foi. Desculpa. E vezenquando entro no casulo. Sei que tu entende.
'Se a via tiver alma, é a via certa'.
beijão

Narradora disse...

Cecília,
Fica tranquila. Quanto ao casulo, entendo bem.
Adorei a frase.
Bjs

Letícia disse...

Narradora,

Tô em falta com vc. Mas leio seus comentários sempre e não são repetitivos. Você traz vida às coisas que crio - vc e outras pessoas mais. Enquanto não me torno Livro, sigo escrevendo por aqui. E esse seu texto me trouxe uma verdade que há muito acredito. "Apreciar a Paisagem". Difícil viver sem se importar e tomar decisões, mas o que faz a diferença mesmo é apreciar o que nos passa - de bom ou de ruim. Somos feitos disso.

Obrigada pela força e pelas leituras. E seus textos, sem exagero ou apenas por dizer, eles falam por mim. E dei de cara com a frase da Virginia... Evitar vida é morrer mesmo. Triste e sem horizonte.
Adorei.

Bjs e se cuida...

Letícia

Lígia disse...

Hey vizinha..
Tu não tem uma ilustração de barquinho de papel??
To com um post e me falta uma imagem legal...

Grata

Bjs

Mariana disse...

As escolhas do dia-a-dia e o onus de cada uma....

será melhor mesmo admirar a paisagem?

beijos

Narradora disse...

Letícia,
Imagina, não está em falta comigo... tomara que vire livro logo.
Se cuida também.
Bjs

Vizinha,
Demorei né, desculpa.
Vi a foto, gostei.
Bjs

Marina,
Não acredito que admirar a paisagem exclua a tomada de decisões e a consequente assunção de responsabilidades.
O que acho é que a vida fica mais leve.
Bjs

Lígia disse...

Então, eu achei uma.. mas não estou 100% satisfeita.. se vc tiver outra me menda..
ligiacz@hotmail.com

Lígia disse...

me mAnda...
Obrigada!
Sera que não tenho nenhum vestígio de barquinho de papel? rs

Bjs

Narradora disse...

Vizinha,
Acebei de chegar da sua casa, ficou bem legal o conjunto.
Aproveitei pra deixar os créditos do ilustrador, muito bom ele.
Quanto aos vestígios, se até Aquiles tinha calcanhar, imagine nós pobres mortais...rs
bjs
PS: mas são só vestígios...

Anna K. Lacerda disse...

A Caravana da Ilusão bifurca os caminhos. Sempre uma escolha, sempre um copo meio cheio ou meio vazio. E a mulher parada a contemplar o horizonte nunca será uma mulher parada a contemplar o horizonte.

* Abraços.

Narradora disse...

Anna K.
Obrigada pela visita, seja bem vinda.
Adorei essa última frase do comentário... nunca será...
Bjs

Assim que sou disse...

E é porisso que escrevo e transformo em palavras a paisagem que olho em cada encruzilhada que enfrento.

Grande alegoria. bjss. Veronica

Narradora disse...

Verônica,
Que você continue transformando em palavras as suas paisagens.
Obrigada,
Bjs.

Camilla Tebet disse...

E o que diriam alguns suas palavras mostram que pouco importa quando a paisagem é assim, sua! E que seja asfalto, e que seja natureza, e que não seja, mas que seja sua. Em giz de cera, lápis de cor,as suas cores, sempre as suas escolhas, que sejam suas e felizes, como esse texto. Esse texto é uma blea decisão. Sorte, é o que te desejo.
Um beijo com carinho e um smile pra vc. E comentando seu comentário (merde, mesmo).
Beijos again.

Narradora disse...

Camilla,
Você tem toda razão. Nossas escolhas, nossas paisagem, é isso que de fato importa.
Sorte pra você também.
Bjs.

João Neto disse...

Valorizar o tempo que dispomos é uma das grandes equações com as quais temos que lidar nessa nossa vida moderna. E dispor de tempo para admirar a paisagem é mais do que importante, é necessário.

Germano Viana Xavier disse...

Eu chamo isso de vida, Narradora!
Eu chamo de vida!

Beijos de mais...

Germano
Aparece...

Alessandra disse...

Graciosidade é a palavra p/ definir seu texto. De uma pureza e clareza única, me fez sentir uma leve briza no rosto até. =*

Narradora disse...

Oi João Neto,
É verdade moço, tempo é um bem precioso.Também acho que admirar a paisagem é necessário.
Obrigada.
Bjs

Caro Germano,
Vida mesmo, amigo. Vida mesmo!
Bjs

Miss Mary West,
Fico feliz com tanta coisa boa.
Bjs