Recent Posts

segunda-feira, 10 de março de 2008

Platão ou Plutão


Duas senhoras, na faixa dos cinqüenta anos, que aparentavam não se ver há algum tempo, conversavam animadas. Lá pelas tantas, uma delas confidenciou que estava namorado um moço mais novo que morava na cidade vizinha, mas que a distância atrapalhava um pouco o relacionamento. A outra ouviu atentamente e logo emendou: "ah, eu não gosto desse negócio de amor plutônico".
Ela, que seguia atrás ouvindo a conversa, não pode deixar de sorrir. Bom, pensou, a idéia corrente de amor platônico ela conhecia... aquele à distância, revestido de fantasia e idealização (ou como o povo das filosofias prefere, o amor focado na beleza do caráter e da inteligência da pessoa, na virtude), mas amor plutônico, esse era novidade.
É certo que plutão (o ex planeta) fica longe, bem longe... então, teria sentido, o amor distante ser amor plutônico, com a vantagem de não significar, necessariamente, amor idealizado... remeteria, apenas, à questão geográfica.
As senhoras já iam longe e ela ainda sorria, pensando na sábia definição de lonjura.
Se é pra ter um amor à distância, que ele seja mesmo plutônico e não platônico.

17 comentários:

Marcelo disse...

Ando fugindo de amores Platônicos ou Plutônicos, sabe...
Nada substitui o bom e velho beijo na boca, e o que vem a seguir...


Parabéns pelo seu espaço aqui.

Abraços.

T S disse...

Oi
adorei seu blog
convido vc para Lusitana Ilusao
espero que goste
bjs inocentes
ts

Narrador disse...

Marcelo,
Obrigada pela visita e boa sorte com seus amores "de perto"..rs

t s,
Bem legal o seu blog.

Mariana disse...

eu tenho um amor plutônico...

é dificil.. mas é suuuper astral...

Deve ser plutonico mesmo pq uma coisa dos céus, das estrelas...

de outro mundo...

bjs

Bárbara Romanelli disse...

Oi Narrador! Que bom que gostou! fico lisonjeada! Gostei do seu blog tb! Legal mesmo. vou visitá-lo mais vezes. espero vê-lo no meu tb! rsrs! bjssss

Narrador disse...

Mariana,
Amor de outro mundo não é nada mal...rs

Bárbara,
valeu a visita.

Jacinta disse...

Caramba,
gostei do texto. E o que faz a letra U colocada no lugar do A entre PT.
De qualquer forma, melhor mesmo é amar.

Um abraço
Jacinta

Narrador disse...

Tá certa, como diria Drummond:
"Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?
(...)Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita."
valeu a visita.

Aline disse...

hahahahaha
muito bom o texto. brincando com as palavras e com as definições de possibilidades de amar, ein?

então, que platônico defina o inalcansável,
e plutônico o difícil, distante, mas, possível.

entendi tudo.

Narrador disse...

É bem por aí...rs

Alice disse...

Obrigada pela visita.
Também gostei muito do que vi por aqui.
Beijo e volte sempre,
Alice

www.asmaravilhasdopaisdealice.blogger.com.br

Leandro Jardim disse...

ainda mais depois que este deixou de ser planeta... hehe... bom texto!

abs
Jardim

Luci disse...

Muito bom! Divertido, bem humorado e bem escrito. Adorei essa nova definição. Afinal, o possível é sempre bem-vindo. Difícil, mas possível. O idealizado habita um plano além...

Obrigada pela visita ao meu espaço. Gostei daqui e voltari sempre (to favoritando!). Te espero também!

:)))))
Luci

Alice disse...

Eu ri com esse texto. Essa nova teoria é perfeita. Agora você encontrou uma finalidade para Plutão - planeta coitado que não é mais planeta. Vai ver ele é mesmo esse tipo de amor.

Bom demais esse texto.
Adorei. :)

Francisco Sobreira disse...

Venho agradecer e retribuir sua amável visita ao "Luzes da Cidade". E ao vir aqui, encontro um blogue bem interessante. Isso de "amor plutônico" é uma bela sacada. Abraço.

felinea disse...

de filosofias a ex-planetas, eu prefiro, hoje, o amor de corpo presente. mas, quem sou eu para saber dessas coisas de amor? "qualquer maneira de amor vale a pena", não?

tri bonito teu blog. prabéns!

Narrador disse...

Lenadro,
valeu a vista...
Pois é menino, pobre plutão...rs

Luci,
Obrigada pela indicação do blog e pelo comentário.

Alice,
deixar de ser planeta mas virar um tipo de amor é promoção, né? rsrs

Francisco,
obrigada pela atenção.

Felinea,
É verdade, amar é amar e pronto....rs