Recent Posts

quarta-feira, 12 de março de 2008

Primeiros socorros


Ela carrega num canto do coração um baú de recordações, leva ali dentro suas melhores lembranças. Algumas são muito antigas, outras mais recentes, mas todas são especiais.
Guardadas no baú, junto de outras coisas, estão: o cheiro do colo da mãe; a voz do pai quando ele cantava pra ela dormir; a primeira ida ao cinema - era um desenho, cinderela (a gata borralheira) - que assistiu sentada nos pés da avó, porque a sala estava cheia; o toca disco amarelo que carregava pra todo lado; a primeira vez que se equilibrou, sem ajuda, na bicicleta - era bem velha e azul; as arrumações da árvore de natal, com os debates sobre os enfeites; o vinho e as conversas de horas, onde os probelmas da humanidade eram resolvidos; as brincadeiras com os irmãos nos almoços de todo dia; o instante submerso do mergulho, no silêncio a água; o chopp com os amigos, em conversas eternas que duravam até as 23 horas, porque era quando o portão do pensionato era trancado; a sensação de ter certeza que encontrou alguém que vai ser importante na sua vida; o primeiro eu te amo compartilhado...
Esse conjunto funciona como uma espécie de caixa de primeiros socorros, nos dias cinzas ou nas noites de trovoada são essas memórias que lhe dão abrigo e aquecem a alma.

9 comentários:

Giu Missel disse...

UM texto mto bonito e leve...

que me faz questionar como posso ter a memória tão curta se eu tenho tantos reflexos do passado.

Meu baú anda pirado, eu acho.rs

Parabéns narrador.

:)

Alessandro Palmeira disse...

Também gostei do teu lugar. Há um pulsar próprio em tuas palavras. Abraços sinceros.

Narrador disse...

As vezes eles piram mesmo....rs
Obrigada pela visita.

Cin disse...

Olá vim agradecer a visita e conhecer seu blog.
De cara já me senti envolvida nesse 1° post.
Parabéns pela narativa leve e tocante.
Bjinhos!

Narrador disse...

Cin e Alessandro,
Obrigada pela visita e pelos comentários.

Marcelo disse...

Tenho tantas dessas lembranças de infância...
Elas me aquecem nas noites frias como uma colcha de retalhos multicolorida.

Abração.

BABI SOLER disse...

Acho que sei texto tem muita coisas de mim e de cada um de nós.
Lindo!

Luci disse...

Com excessão da cor da bicicleta (que era vermelha), juro que achei q vc me conhecia de velha data. Descrição perfeita do meu baú!
Tô boba!

Lindo, lindo!

Narrador disse...

Marcelo,
Vc falando de colcha de retalho colorida, a minha bisav� fez uma pra minha m�e...rs. Lembro bem dela, deve estar no ba� tb.

Babi,
Seja bem vinda e obrigada pelo coment�rio.

Luci,
Engra�adas certas coincid�ncias...
Bom